Youtube

Os dez "entertainers" mais influentes – que pode seguir no Youtube

São estas as personalidades das redes sociais mais influentes, na área do entretenimento, segundo a revista "Forbes".

Juntos têm uma audiência de aproximadamente 73,6 milhões de subscritores, no Youtube e, de acordo com a Forbes, são as personalidades das redes socias mais influentes do momento, na área de entretenimento. Ao longo do ano a revista vai publicar 12 destas listas, em diferentes categorias.

Em Abril foram revelados já os dez mais influentes no fitness, beleza e casa e, desta vez, são anunciados também os de gaming e viagem. Mais virão em Setembro (moda, comédia e família) e depois em Dezembro (comida, tecnologia & negócio e desporto).

Os dez entertainers seleccionados pela Forbes têm em comum o Youtube, mas nem todos começaram por publicar vídeos naquela plataforma. Lele Pons, por exemplo, era “a mais popular estrela feminina” da aplicação Vine – que o Twitter decidiu fechar definitivamente no início de Janeiro – e Ariel Martin, era a pessoa mais seguida na aplicação Music.ly – que permite criar vídeos a partir de músicas. Fora do ecrã do computador, este grupo de estrelas das redes sociais não se tem dado mal, entre lançamento de best-sellers, contratos de publicidade e séries de televisão.

Lilly Singh

É a super-mulher do Youtube. Foi o nome que adoptou, depois de começar a publicar vídeos, em 2010. Hoje tem 11,7 milhões de subscritores, um livro publicado (How to be a Bawse), que chegou a número um na lista de best-sellers do New York Times, e uma tour mundial (A Trip to Unicorn Island). A canadiana, descendente de pais indianos, faz sketches de comédia. Os temas variam entre listas – “Os melhores amigos que já todos tivemos” – e paródias sobre os próprios pais – nos quais a própria se mascara de pai e de mãe. Lilly Singh é, de acordo com a Forbes, a youtuber feminina mais bem paga.

Número de subscritores: 11,7 milhões

Tyler Oakley

O bom humor de Tyler Oakley é uma das primeiras coisas que salta à vista. É um dos mais antigos youtubers de sucesso – começou a publicar vídeos em 2007, apenas dois anos depois da fundação da plataforma. Na altura na faculdade, foi a forma que encontrou para se manter em contacto com os amigos do liceu. Até hoje já publicou um livro (Binge), organizou tours mundiais e lançou uma colecção de óculos com a Warby Parker, entre outros projectos.

Número de subscritores: 7,9 milhões

Logan Paul

Ganhou notoriedade no Vine, com os seus vídeos de seis segundos. No final de 2014, Logan Paul começou a molhar os pés no Youtube, com compilações de vines. O conteúdo foi evoluindo e hoje faz vlogs diários. Também já participou em vários anúncios de televisão. 

Número de subscritores: 2,6 milhões

Hannah Hart

Foi a série My Drunk Kitchen, que fez de Hannah Hart um nome conhecido na comunidade de Youtube. É uma espécie de programa de cozinha, mas com bastante álcool à mistura – vale a pena notar que o estilo de Hart é a comédia. Entretanto, já lançou dois best-sellers, My Drunk Kitchen: A Guide to Eating, Drinking, and Going with Your Gut e Buffering: Unshared Tales of a Life Fully Loaded.

Número de subscritores: 2,5 milhões

Miranda Sings

Collen Ballinger é mais conhecida pelo seu heterónimo no Youtube, Miranda Sings – uma rapariga resmungona com demasiado batom encarnado. Os vídeos da personagem que criou como uma piada no Youtube tornaram-se virais e hoje até são mais populares do que os da própria Collen. Já publicou um best-seller (Selp-Helf), assinado pela Miranda Sings, e a sua série da Netflix, Haters Back Off!, tem estreia da segunda temporada marcada para Outubro.

Número de subscritores: 7,8 milhões (e 5 milhões no canal próprio, PsychoSoprano)

Shane Dawson

Já publicou 1788 vídeos desde que começou, em 2008 – isto apenas na conta principal. Os temas variam grandemente e incluem histórias de teorias da conspiração, testes de produtos e personagens recorrentes, como a Shananay. Tem dois best-sellers no currículo – I Hate Myselfie: A Collection of Essays e It Gets Worse: A Collection of Essays –, e um postcast de sucesso, Shane And Friends. De acordo com a Forbes, está também a desenvolver um programa com o Youtube Red – um serviço de streaming, em formato de subscrição.

Número de subscritores: 9,8 milhões

Cameron Dallas

Mesmo quem não for grande adepto do Youtube, talvez já se tenha deparado com este californiano nas páginas das revistas, em campanhas da Calvin Klein ou Dolce & Gabbana. Cameron Dallas começou como viner – com vídeos de partidas que pregava aos amigos – e conseguiu transformar a fama online numa carreira de sucesso fora das redes sociais. Em 2016, a Netflix lançou a primeira temporada da série documental sobre a sua vida, Chasing Cameron

Número de subscritores: 5,6 milhões

Lele Pons

É outra das grandes viners – de acordo com a Forbes, a mais popular, no sexo feminino, com 8,4 mil milhões de loops – que emigraram para o Youtube, mesmo antes de a aplicação terminar. Lançou o primeiro vídeo em Abril do ano passado e publicou um livro, Surviving High School.

Número de subscritores: 4,7  milhões

King Bach

Também ganhou notoriedade com o Vine, onde, segundo a Forbes, era a personalidade mais seguida. No pequeno ecrã, já teve participações em duas conhecidas séries: House of Lies e The Mindy Project. Para este ano, anunciou a parceria com o LiveXLive, um canal que agrega conteúdo.

Número de subscritores: 1,4 milhões

Ariel Martin

Ariel Martin chegou ao Youtube com a fama que ganhou noutras bandas, mas não no Vine. A jovem americana começou em 2015 a publicar vídeos no Music.ly, uma aplicação que permite criar clips de poucos segundos a partir de músicas. Era conhecida como Baby Ariel e tornou-se a pessoa com mais seguidores na rede. Já fez uma tour de 28 cidades e, segundo a Forbes, está neste momento a preparar o primeiro álbum.

Número de subscritores: 2,2 milhões de seguidores