• Escadaria de acesso ao spa
    Escadaria de acesso ao spa Enric Vives-Rubio
  • Reflexo da luz natural
    Reflexo da luz natural Enric Vives-Rubio
  • Um detalhe da decoração
    Um detalhe da decoração Enric Vives-Rubio
  • Um dos jactos fortes da piscina
    Um dos jactos fortes da piscina Enric Vives-Rubio
  • O claustro de descanso no centro do spa
    O claustro de descanso no centro do spa Enric Vives-Rubio
  • A harmonia do mobiliário é um convite à serenidade
    A harmonia do mobiliário é um convite à serenidade Enric Vives-Rubio
  • A sala do duche Vichy
    A sala do duche Vichy Enric Vives-Rubio
  • O spa evoca umas termas romanas
    O spa evoca umas termas romanas Enric Vives-Rubio
  • Pormenor do circuito de talassoterapia
    Pormenor do circuito de talassoterapia Enric Vives-Rubio

Marina Real Spa

Perder o corpo, ganhar o corpo

Não prometemos que os efeitos sejam os mesmos: é precisa muita desconfiança acumulada para perceber o bem que "isto" faz. Isto é um dia passado num spa, entre a talassoterapia e os tratamentos de corpo e de rosto. Uma primeira experiência para repetir até que o corpo deixe de doer.

Prometem-nos que vamos conseguir relaxar e nós dizemos que outros tentaram e nem por isso conseguiram. “Eu não disse que era eu que ia conseguir fazer com que relaxasse, é você que vai fazer com que consiga relaxar”. Não há como atirarem-nos com o ónus da responsabilidade para nos atiçar o desejo de superação. Adoramos desafios, sermos submetidos a duras provas como estas: demorarmo-nos no circuito de talassoterapia e a seguir sermos castigados com uma massagem relaxante. Uma tarde inteira a cuidarmos de nós, sem pressas, “sem notar”, acrescentam.

O spa do Grande Real Villa Hotel, em Cascais, fica na zona mais secreta do hotel. Forrado a mármore, arrancado do próprio chão onde o hotel foi construído, procura reconstituir o ambiente de umas termas romanas. O circuito de talassoterapia junta a luz natural que o recanto onde o hotel foi construído ainda guarda. A piscina de talassoterapia, uma das poucas na região da Grande Lisboa, tem oito pontos, que podemos experimentar à vontade, brincar como se desconfiássemos das vantagens, como se achássemos que aquela água é só para velhos… Minutos depois de termos entrado já sentimos os efeitos da água quente, dos jactos que trabalham sobre a zona lombar, das contracorrentes que activam a circulação sanguínea, da flutuação que nos engana nas calorias que devorámos horas antes... Ai a desconfiança da juventude e o cinismo do repórter… E as duas saunas, de banho turco e vapor, são o balanço necessário (ou o passo que falta) para nos preparar (para nos convencer) para o que se segue. A elegância dos corredores, o cuidado nos detalhes, o requinte do atendimento, o silêncio que percorre as salas, os rebuçados nos vestiários, os roupões que apetece levar, a água com limão que nos oferecem… sabe tudo a memória imaginada quando, depois, temos que recordar como foi…

Deitados numa marquesa sentimos as mãos da assistente a procurarem os nossos pontos mais fracos. É o corpo que cede. Aos primeiros passos, daquele que será um tratamento de corpo e rosto, já temos que dar razão ao aviso inicial. Deram-nos a escolher óleos de aromas diferentes. Explicam que “através da mistura de óleos essenciais com o óleo de grainha de uva, sobem o relaxamento e bem-estar” que nos foi prometido. Dizemos que sim, vamos lá. Primeiro os ombros, as costas, os braços, depois as pernas… e o corpo a desaparecer por entre aquelas mãos, o corpo a escorregar por entre aqueles óleos… Ouvimos o nosso respirar a tornar-se mais pesado, sabemos que era tão fácil deixarmo-nos ir, adormecer mesmo, dizem-nos que não há problema se isso acontecer.

A sala está escura, há uma ligeira música ambiente que não sabemos se existe realmente, as toalhas estão quentes, as velas criam sombras estranhas nas paredes… “De movimentos suaves e relaxantes, a massagem auxilia a penetração do óleo na pele fazendo com que este entre no sistema sanguíneo promovendo assim o bem-estar”, explicam. “É esse o objectivo primordial: obter o relaxamento do cliente”. “Do cliente?”, perguntamos só para nós. Tanta intimidade e não nos tratam pelo nome? Talvez seja melhor assim, todos os prazeres são melhores quando são anónimos.

A segunda parte do tratamento foca-se no rosto, onde os produtos utilizados são da marca francesa especialista em cosmetologia marinha Phytomer. Primeiro aplicaram-nos um gel de limpeza e depois um tónico com o objectivo de limpar e preparar a pele para o que se segue. É demorado, é fresco, começamos a render-nos. Segue-se uma esfoliação do rosto, pescoço e colo com a utilização de um desincrustante de homem. Perguntamos o que é e, sobretudo para que serve: “retira as células mortas”, respondem. Massajam-nos o rosto e nós de olhos fechados sem sabermos onde começa ou acabam os dedos, suaves, que nos tocam. A purificação e o controlo da oleosidade da pele é garantida através de um sérum purificante. Vão-nos perguntando se estamos bem. Vamos deixando de responder com frases completas e só nos saem monossílabos que, com o tempo, deixam de ser perceptíveis.

A máscara que nos aplicam no rosto, pescoço e colo – a Oligopur Masque Purifiant Matifiant– remove “os excessos de oleosidade e brilho, deixando a pele com uma aparência mate, conferindo uma frescura à pele, desintoxicando-a e fazendo perdurar por mais tempo o seu efeito”, dizem. E, efectivamente, é imediato o seu resultado. Toda essa zona parece, de repente, mais fresca, mais leve, arriscaríamos dizer mais jovem. Inocente, do tempo em que ainda não sabíamos que ia ficar tudo escrito no rosto. E nós sempre a dizermos que a nossa cara não dizia tudo.

No fim, um creme de rosto, o Facial Protect, que revitaliza e oxigena as células da pele “com extractos de algas ricos em cálcio e magnésio”. É uma espécie de garrafa de oxigénio que nos descomprime e nos traz de volta à tona. Deixam-nos sozinhos na sala, a respirar fundo, “o tempo que achar preciso”. Saímos passado um pouco, envergonhados por estarmos a gostar tanto. Perguntam se aceitamos um chá, respondemos que não somos capazes de recusar o que quer que seja. Deixam-nos a descansar, agradecem o tempo que lhe demos e depois perguntam: “Quem tinha razão?”. E nós sorrimos.

Percurso de talassoterapia €30
Real Massagem Anti-stress (50min) €75
Real Sea Essencial Vitalizante (50min) €80

Marina Real Spa do hotel Grande Real Villa Italia
Rua Frei Nicolau de Oliveira, 100
Cascais
www.hoteisreal.com
Marcações: 210 966 010