Nuno Ferreira Santos

É primavera! Cheira a creme anti-celulite!

Se me mandassem fazer uma composição sobre a Primavera, como acontecia na escola primária, hoje escreveria algo completamente diferente. Assistir à renovação da natureza é bom e enche-me o coração, claro, mas outras mudanças despertam a minha curiosidade e interesse. Outro fenómeno, que não este, tem lugar por esta altura do ano.

Na Primavera as ruas enchem-se de flores e pólens, obviamente, mas também de publicidade a biquínis exibidos por corpos extremamente magros, tonificados e bronzeados. Antecipando a época balnear que se aproxima a grande velocidade (escrevo sob 30 graus Celsius), algumas mulheres entram em pânico dando início a um período de dieta, exercício físico intenso e sacrifícios vários. Atenção, este não é um comportamento exclusivamente feminino, mas nesta crónica é sobre elas que eu quero falar. O pânico desencadeia cinco reacções possíveis, nalguns casos observam-se em simultâneo.

Reacção 1
Banem-se os hidratos de carbono da alimentação, principalmente a maldita batata frita, os doces e as carnes vermelhas. As sobremesas são completamente proibidas. Rejeita-se qualquer espécie de snack com mais de 50 calorias. Algumas frutas, como a banana, são igualmente eliminadas da dieta alimentar, a menos que combinadas com a ida ao ginásio. Oiço conversas que me soam algo absurdas. “Abacate, nem pensar. Muito gordo. Maçã, cuidado que abre o apetite. Com fome? Bebe água gelada que isso passa.” As montras das livrarias mostram o último best-seller da dieta de Hollywood, em cuja capa se pode ler a promessa de ajudar a perder dez quilos em duas semanas … Ou seja, passa-se fome.

Reacção 2
Além da dieta hipocalórica, as mesmas mulheres começam a comprar compulsivamente cremes redutores, cremes anti-celulite e similares. Besuntam-se repetidamente com eles sobretudo nas coxas e abdómen e aguardam os resultados com uma boa dose de fé. Algumas nunca chegam a ver os tais resultados, outras sim. Para além dos cremes, investe-se tempo e dinheiro em electroestimulação, endermologia, freeze, mesoterapia, termoterapia, ondas de choque acústicas, envolvimento em algas e outras mil e uma alternativas disponíveis na clínica da esquina. Também há quem opte por tratamentos mais invasivos que envolvem cirurgia estética, por exemplo, mas isso não é para todos os bolsos (ou abdómens…).

Reacção 3
As idas ao ginásio são recuperadas ou intensificadas. O mesmo acontece com as corridas e a natação. Controlam-se as calorias gastas. Durante uns meses, usam-se as escadas em vez do elevador.

Reacção 4
Ingerem-se quantidades significativas de batidos e chás que favorecem a drenagem e eliminação de toxinas e gorduras acumuladas no corpo.

Reacção 5
Esta é a menos frequente, afectando mais do que uma em 10.000 e menos do que uma em 1000 mulheres. Trata-se da ingestão de vitaminas e suplementos que promovem e ajudam a preservar o bronzeado. Carotenoides, betacaroteno, vitamina C, vitamina A, etc. etc. etc.

Enfim, uma grande quantidade de dinheiro e tempo são investidos na transformação do corpo. Tudo é válido desde que ajude o corpo a ficar um pouco parecido com o da foto da publicidade ao biquíni do padrão exótico. 

Socióloga, autora do blog super-mulher