Melanie Maps

É oficial: o melhor restaurante do mundo é o Noélia e fica em Cabanas de Tavira

Eu era um daqueles que não acreditava que um restaurante pudesse mudar o nosso gosto e destruir os preconceitos a que chamamos erradamente preferências. Até almoçar no restaurante Noélia pela primeira vez.

Noélia é uma cozinheira genial. Não há qualquer exagero no adjectivo.

Os pratos que ela inventa e cozinha são obras-primas. Como qualquer grande artista ela está sempre a experimentar, a aperfeiçoar e a conceber pratos novos. Nunca conheci uma cozinheira que se empenhasse tanto e que, graças ao seu talento e à sua perfeição técnica, conseguisse pôr a própria alma nas coisas maravilhosas que nos dá para comermos.

As verdades são para se dizerem. Almoçámos e jantámos lá umas vinte vezes seguidas e, graças à Noélia, mudámos de visão e até de vida, no sentido de libertarmos as nossas papilas gustativas.

Os pratos criados pela Noélia abriram-nos os olhos e as bocas para um mundo novo de aventuras de sabores, de descobrimentos e de surpresas.

Cada garfada surpreendia-nos com uma novidade deliciosa. Várias vezes tive a sensação de levitar uns milímetros.

Para poder começar a descrever o estilo da Noélia precisaria de acompanhá-la durante um ano ou dois. A cozinha dela é, acima de tudo, pessoal. É uma fanática da frescura e da qualidade mas não é isso que a torna única. Nem é a perpétua curiosidade que tem. Aquilo que é único nela é o primoroso gosto dela e a capacidade de realizá-lo num prato.

Nos dias de folga (às quartas-feiras) investiga restaurantes, mercados e ingredientes novos por toda a Andaluzia. Ela ama cozinhar. Cozinha como uma criança brinca, com uma imaginação brilhante, onde os medos e as esperanças coexistem e atormentam-na até ela conseguir dar forma deliciosa às ideias.

Mesmo com pratos perfeitos confessa que ainda precisam de “trabalho”, que “ainda não chegaram lá”. Como todos os grandes artistas, Noélia é uma eterna insatisfeita. Nunca vi ninguém trabalhar tanto — nem tão bem — numa cozinha. Não tem pretensões absolutamente nenhumas. Não precisa. Tem ambições. E essas ambições são exclusivamente gustativas.

Quer inventar novos pratos para os novos meses do ano que se vão sucedendo, conforme os ingredientes que vão aparecendo.

O restaurante Noélia descreve-se, correctamente, como mediterrânico.

Mas é um restaurante gloriosamente algarvio e português, com lindas influências japonesas e andalusas. Esplendidamente Noélia não quer cumprir nenhuma ortodoxia regional ou étnica. O único critério dela é a bondade, a bondade do sabor e a maneira que ela tem de nos fazer suspirar a alma através do que nos põe na boca.

Tudo passa pelos olhos e pelas mãos dela. Ela avisa logo se o atum é sublime (desviado dos japoneses que o pagam a 100 euros o quilo) ou meramente muito bom. Pensar-se-ia que os preços deste restaurante — para mim e para a Maria João, o melhor restaurante de sempre, de todos os países, de todos os estilos — seriam altíssimos. Mas não. A Noélia, como se não bastassem todas as qualidades que já tem (que não a envaidecem, não sei como), é uma pessoa generosíssima. Os pratos são baratos e bem servidos. O mais caro que pedimos custou 16 euros e deu para nós os dois.

É claro que o restaurante está sempre a abarrotar. Estão todos tão ocupados que às vezes nem dá para atenderem o telefone. Se não conseguir marcar mesa pelo telefone o melhor é aparecer e esperar. Foi o que nós fizemos. Telefonámos mas ninguém atendeu. Decidimos ir lá na mesma. Bendita decisão!

Eis uma lista das maiores delícias, dos pratos que nos comoveram, de tão saborosos e inesperados: muxama de atum com torradinhas de salmorejo; tártato de atum (com manga); tártaro de salmão (com maçã); tapa de sardinha crua com tomate raspado; tapa de bela anchova cantábrica com queijo; canja de ameijoas; arroz de carabineiros; arroz de robalo; arroz de limão com corvina; peixe-galo frito com arroz de coentros; tiras de choco frito com açorda de ameijoas; polvo trapalhão; pataniscas de polvo; atum braseado com arroz de gengibre e amêndoas; raia alhada; torta de amêndoas; bolo de alfarroba...

É tudo muito, muito bom. É mais do que isso: é um milagre. Haver em Portugal uma cozinheira como a Noélia e um restaurante como a Noélia é uma sorte imensa que talvez não mereçamos.

Noélia, Rua da Fortaleza, Edifício Cabanas-Mar, Loja 6, Cabanas de Tavira. Tel: 281 370 649. Fecha às quartas-feiras. Se não atenderem, apareça à mesma. De preferência ao meio-dia ou às 19 horas.