Passerelle

Outono / Inverno 2012

Comme des Garçons: A campeã da dissidência

Rei Kawakubo contradiz Paris com formas pouco orgânicas que parecem saídas de um filme de animação. “A bidimensionalidade é o futuro”, proclamou a directora criativa da marca japonesa. Em mais uma colecção-manifesto, Kawakubo desenha peças que se desenvolvem na horizontal e anulam a volumetria do corpo.

A designer que recusa perder-se no mainstream apresentou propostas que sublinham o seu espírito conceptual avant-garde. Volumosas silhuetas em tecidos rijos como o feltro foram exploradas ora em cores vibrantes como o rosa, lilás, azul e vermelho, ora com exagerados padrões geométricos e florais. O fecho do desfile trouxe vestidos que introduziram o brilho e algum sentido de humor não deixou de transparecer nos fatos ninja que aludem às raízes nipónicas de Kawakubo.

Autodidacta, a sua abordagem artística à moda fá-la encarar o corpo humano em toda a sua potencialidade plástica, transfigurando-o neste desfile com cabeleiras em tons de rosa, amarelo e laranja. As sobrancelhas apagadas acentuam a intenção de criar um corpo bidimensional, como se de um boneco de animação se tratasse.

Ao lado de Yohji Yamamoto e Issey Miyake, Rei Kawakubo completa a trilogia de criadores japoneses que revolucionaram a moda ocidental nos anos de 1980, apresentando colecções que mudaram a visão sexualizada do corpo feminino. As formas andróginas e arquitecturais, as proporções assimétricas e as cores escuras e térreas, são características de um estilo simultaneamente feito de valores conservadores e estética radical.

Kawakubo criou a marca Comme des Garçons em 1969, apresentando-se em Paris só em 1981. Com mais de 40 anos de carreira, foi recentemente homenageada nos prémios Council of Fashion Designers of America 2012 com a atribuição do Prémio Internacional.

Outras Passerelles