Reuters/EDUARDO MUNOZ

Igualdade de género

Estudo revela que igualdade de género faz sobressair a inteligência das mulheres

Um estudo que abordou participantes de 27 países sugere que naqueles onde onde há mais igualdade de género as mulheres têm melhores resultados cognitivos.

A igualdade de género faz sobressair a inteligência das mulheres, revela um estudo da Norwegian Institute of Public Health e Columbia. As mulheres de meia-idade apresentam resultados cognitivos superiores em países onde as atitudes associadas aos géneros são mais neutras.

O estudo teve a participação de pessoas acima dos 50 anos, de 27 países. Além dos testes cognitivos foram-lhe feitas perguntas no sentido de medir o nível de igualdade em cada um dos países. Para tal, foi pedido para classificarem frases como "quando os empregos são escassos, os homens deveriam ter mais direito do que as mulheres".

"Esta pesquisa é uma primeira tentativa de apontar luz para as importantes, mas pouco estudadas, consequências adversas da desigualdade de género na saúde das mulheres mais tarde na vida", explica Eric Bonsang, investigador principal do estudo, ao The Economic Times.

A Suécia foi o país onde as mulheres ultrapassaram os homens, enquanto no Ghana – uma sociedade onde há menos igualdade – a vantagem em resultados cognitivos dos homens é maior, de acordo com o Independent. "Estes resultados reforçam a necessidade de políticas direccionadas para reduzir desigualdades de género, ao mostrarmos que as consequências vão além do mercado de trabalho e desigualdades de rendimentos", indicam ainda os autores, citados pelo Independent. "Também mostra quão importante é considerar influências aparentemente intangíveis, como atitudes e valores culturais, quando se está a tentar entender o envelhecimento cognitivo".