D.R.

Viagens

Vem aí a segunda geração das malas inteligentes da Bluesmart

Foi o grande propulsor da categoria das malas inteligentes, em 2014. Esta semana a Bluesmart lançou uma nova campanha de "crowdfunding" para a sua Series 2.

A Bluesmart chegou ao mercado, ou antes, ao Indiegogo, em 2014, cheia de promessas: uma mala para a nova geração de viajantes. Depois do sucesso do primeiro modelo que veio agitar o sector, a empresa acaba de lançar uma nova campanha de crowdfunding para a sua Series 2.

É possível dizer que a Bluesmart inventou a categoria de smart luggage, como escreve a Forbes – no mínimo foi a primeira a lançar uma destas malas em larga escala. Marcas como Samsonite e Rimowa já integraram também tecnologias semelhantes nos seus modelos.

Assim como a primeira geração – a qual pelo menos dez mil pessoas encomendaram em crowdfunding –, a nova Bluesmart funciona em sintonia com uma aplicação móvel e inclui sensores de localização (que enviam notificações quando a mala se afasta do dono), carregadores electrónicos (no chegam a carregar o computador), cadeados digitais (que podem ser comandados através do telemóvel) e uma balança integrada.

Desta vez, a empresa decidiu lançar uma gama mais completa de produtos, que podem funcionar independentemente ou em uníssono. Há uma mala de cabine (38 litros) e outra para despachar (80 litros), uma pasta de computador – "com todos os bolsos dos quais um viajante precisa" – e uma capa para o passaporte. De fora ficou, desta vez, o bolso que permitia facilmente retirar o computador sem abrir o fecho da mala pequena.

As malas – disponíveis em três cores – funcionam com 3G e GPS, enquanto que a pasta e a capa utilizam apenas Bluetooth. Significa que no caso das primeiras podem ser localizadas a qualquer momento ou quando o utilizador se afasta, por exemplo, do passaporte recebe um aviso no telemóvel – será difícil, assim, que este fique esquecido em casa. Também ao nível dos materiais, houve alguma evolução.

Um dos problemas da mala, aponta o The Verge, continua a ser o peso da estrutura – 4,1 e 5,9 quilogramas. É compreensível, dada a quantidade de tecnologia que inclui, mas continua a ser relativamente pesado para uma mala que se prima pela inovação.

O preços vão variar entre os 145 dólares (127 euros pela capa de passaporte) e os 595 dólares (523 euros para a mala grande). Para já, os interessados podem contribuir para a campanha e receber os produtos com desconto, entre 95 e 275 dólares (83 e 242 euros), respectivamente. De acordo com o calendário da empresa, as primeiras encomendas vão começar a sair a partir de Setembro deste ano.

Actualmente a campanha da Bluesmart Series 2 já ultrapassou de longe o objectivo inicial de 50 mil dólares, com um financiamento de aproximadamente 752 mil.