A princesa Diana com o filho mais velho, William, em 1992
A princesa Diana com o filho mais velho, William, em 1992 REUTERS/Dylan Martinez

Príncipe William

Príncipe William fala sobre a morte da mãe

Numa entrevista íntima, o príncipe revela que gostava que Diana pudesse ter conhecido Kate e acompanhar o crescimento dos netos.

Duas décadas depois da morte da mãe, os príncipes de Inglaterra têm falado bastante sobre o tema: em Abril, Harry contou ao Telegraph que depois de anos a reprimir os sentimentos, só aos 28 decidiu procurar ajuda profissional. Desta vez, foi William quem falou sobre a perda da mãe aos 15 anos.

"Gostaria de ter tido os seus conselhos. Adorava que ela tivesse conhecido Catherine e que tivesse visto as crianças crescer. Deixa-me triste que ela não o tenha feito, que eles nunca a tenham conhecido", revelou o príncipe herdeiro, numa entrevista íntima à GQ.

William garante que só recentemente se tem sentido mais à-vontade para falar sobre a mãe. "Consigo lembrar-me dela melhor. Demorou quase 20 anos para chegar a esse ponto", conta. Ainda assim, mesmo depois de tantos anos continua a ser difícil – "e também não é como o luto da maior parte das pessoas, porque toda a gente sabe sobre isso, todos conhecem a história."

O envolvimento dos príncipes na organização Heads Together tem-nos incentivado a falar abertamente sobre as suas próprias fragilidades, na esperança de desmistificar alguns tabus acerca da saúde mental.

É algo relevante para qualquer pessoa, mesmo para um príncipe que possa à superfície parecer imune à doença mental. "Tenho-me surpreendido pela quantidade de pessoas que vivem em medo e em silêncio. Sei que pareço reservado e tímido, nem sempre tenho as emoções à flor da pele, mas por detrás de portas fechadas penso sobre os assuntos e preocupo-me bastante com as coisas", desabafa William

Agora, o futuro herdeiro do trono quer que os filhos cresçam num ambiente feliz e seguro. "Não quero que ele [o filho George] cresça atrás das paredes do palácio, tem de estar lá fora. Os media vão fazer com que seja mais difícil, mas vou lutar para que os meus filhos tenham uma vida normal", revela.

Entretanto aproxima-se o aniversário da morte da Diana, que foi vítima de um acidente de automóvel num túnel em Paris, a 31 de Agosto de 1997.