Gonçalo Claro

Entrevista

Um conto de três cidades: como os irmãos Sampaio chegaram onde estão

Muito se falou na semana passada sobre Kevin Sampaio, pela sua suposta ligação com a estrela pop convertida aos encantos de Lisboa. É uma das metades da dupla de irmãos Sampaio, que solidificaram a carreira a par.

Milão foi a rampa de lançamento e Paris a cidade onde nasceram e deram o grande salto. Os irmãos Sampaio começaram a trabalhar como manequins aos 20 anos e, em poucos meses, já tinham um currículo invejável. Construíram uma carreira a dois, passando pelas principais capitais da moda — primeiro Milão, depois Paris, e, finalmente, Nova Iorque, onde vivem actualmente.

Na semana passada, quando Madonna esteve em Lisboa, muitos meios falaram sobre Kevin Sampaio, pela sua suposta ligação à estrela da pop. Recorde-se que o modelo português conheceu Madonna durante as filmagens de um dos seus videoclips (Bitch I’m Madonna). Esteve ao seu lado quando esta celebrou 57 anos (tem hoje 58). Por isso, o Life&Style quis conhecer melhor os irmãos Sampaio. Na entrevista pedida, o compromisso foi não fazer perguntas sobre a cantora norte-americana.

 

Gipsy night

Uma publicação partilhada por Kevin Sampaio (@kevinsampaiotwin) a

França, Paris, 1986

Kevin e Jonathan, filhos de emigrantes portugueses, nasceram na terra de Coco Chanel e Yves Saint Laurent — mal saberiam que estavam destinados a uma carreira de sucesso no mundo da moda. Aos cinco anos mudaram-se para Portugal e cresceram em Felgueiras.

Ingressaram num curso de desporto numa faculdade do Porto. Nas entrelinhas, estava a carreira de manequins a começar a tomar forma. Aos 17 anos, uma professora dos irmãos tinha enviado uma fotografia para a Central Models e, dias depois, estes receberam uma chamada da agência, que lhes pediu para fazerem uma visita a Lisboa — foi a primeira vez que viajaram até à capital. Logo em 2003, foram inscritos num concurso da Pantene (que ganharam), mas na altura “a moda era um passatempo” e não tinham tempo para ir aos castings, contou Jonathan Sampaio à revista Pública, em 2009.

Milão, Paris (outra vez)…

Ao celebrarem 20 anos, a Central Models achou que os gémeos estavam prontos para atravessar a fronteira e se lançarem nas passerelles internacionais — começaram por Milão, em 2007, onde desfilaram para Dolce & Gabbana, D&G (a segunda linha da marca italiana), Versace e DSquared2. Na sua segunda temporada, só desfilaram para Dior Homme, por causa de um contrato de exclusividade.

Entre 2007 e 2010 trabalharam em Paris. “Foi praticamente onde começámos a nossa carreira”, garante hoje Kevin ao Life&Style. A ascensão ao nível de modelos internacionais cobiçados aconteceu em poucos meses: em 2009 já passavam “dez meses e meio em viagem”, apenas com paragens em Portugal para trabalhar na ModaLisboa e no Portugal Fashion e para passar o Natal e as férias de Verão. Então, os gémeos juntavam um impressionante rol de nomes no currículo: John Galliano, Giorgio Armani, Vivienne Westwood, Jean Paul Gaultier e Givenchy, entre outros.

Salvo raras excepções — o videoclip da Madonna inclusive —, os irmãos eram aquilo que os ingleses chamam um package deal. Ou seja, só trabalhavam em conjunto — foi assim que criaram a sua imagem de marca. “Muitas vezes tentam procurar-nos a solo, mas temos uma regra: ou levam os dois ou não levam nada. Há bastantes gémeos cá fora e acabam por trabalhar separados, mas agora os outros acabam por se juntar, acabam por fazer como nós”, contava Kevin ao antigo suplemento do PÚBLICO, ao telefone de Paris. Hoje em dia, já trabalham muitas vezes separados. Uma dica para os distinguir: Kevin tem um sinal acima do lábio; o irmão, não.

… e, finalmente, Nova Iorque

O salto para Nova Iorque aconteceu em 2010, quando assinaram contrato com uma das maiores e mais respeitadas agências a nível mundial, a Wilhelmina Models — assim se mudaram para o outro lado do Atlântico. Actualmente são representados por outra agência em Lisboa, a We Are Models.

“Na área da moda, [o mercado americano] é um mercado onde só se consegue trabalhar se já tivermos um nome estabelecido, e por isso começámos em Paris e Milão, para termos reconhecimento internacional e podermos depois trabalhar no mercado americano”, explica Kevin ao Life&Style.

Se no início de carreira eram mais requisitados para desfiles e editoriais de moda — “éramos manequins completamente fashion” —, hoje encontram também muito trabalho na área mais comercial. “Ao longo destes anos tivemos a oportunidade de trabalhar com quase todas as marcas de topo”, garante Jonathan. Um dos pontos altos da carreira, diz, foi uma recente campanha internacional para a Givenchy, fotografada pela dupla Mert & Marcus.

Numa coisa estão de acordo: o nível de exigência em Nova Iorque é bem diferente daquilo que se vê em qualquer mercado europeu. “As cidades europeias para nós são mais fáceis de viver, a cultura é mais parecida com a nossa. Em Nova Iorque é uma vida mais activa e stressante, mas sem dúvida que é onde tudo se passa, e acabamos por ter muito mais trabalho”, conta Jonathan. O irmão acrescenta que Nova Iorque é uma cidade “onde para vencer tem de se ter uma personalidade muito forte. É um bocadinho a lei da selva; em Milão, Paris e Lisboa a vida é mais pacata e as coisas não acontecem tão depressa”.

O que é que os distingue, então, de outros modelos? A “personalidade” —  também nisso estão de acordo. “Sempre fomos fiéis à educação que nos foi transmitida pelos nossos pais e sempre acreditei que os valores e princípios dizem muito de uma pessoa, especialmente hoje em dia”, continua Jonathan.

Os gémeos de 30 anos vivem actualmente em Nova Iorque, mas dividem o tempo entre lá e cá. “[No último ano] aproveitei para passar mais tempo na Europa por uma questão estratégica”, conta Jonathan ao Life&Style. Já Kevin diz que o regresso a Portugal poderá estar para breve: “Penso que em breve estaremos de volta, mas sempre ligados ao mundo.”

Texto alterado às 21h14O PÚBLICO retirou as citações da revista Flash, depois de serem desmentidas pela agência de Kevin e Jonathan Sampaio.