O actor foi o apresentador da última cerimónia dos Óscares
O actor foi o apresentador da última cerimónia dos Óscares Reuters/LUCY NICHOLSON

Televisão

Primeiro Jimmy Kimmel chorou, agora pediu desculpa

Comediante foi fortemente criticado por dizer que nem todas as crianças têm acesso a cuidados de saúde nos EUA.

Há uma semana, o comediante Jimmy Kimmel chorou quando contava sobre o estado de saúde do seu filho recém-nascido e como tinha sido salvo por equipas médicas incansáveis. Agora o norte-americano veio pedir desculpa por dizer que nem todas as crianças do seu país têm acesso a cuidados de saúde, mas estava só a ser irónico.

Jimmy Kimmel chora ao falar da saúde do filho recém-nascido e critica Trumpcare

O comediante foi fortemente criticado numa altura em que se discutem mudanças nessa área e que os Republicanos querem deitar abaixo o Obamacare. No New York Post foi acusado de dizer "mentiras obscenas" e no The Washington Times foi chamado "elitista", cita o britânico The Independent.

De volta à televisão e aos seus monólogos, o comediante revela como foi, na última semana, apelidado de "elitista de Hollywood" e contou que quando era criança bebia leite em pó porque os pais não tinham como pagar o leite ou como o sumo de laranja não era fresco, mas congelado.  Kimmel revelou ainda que quando a família dormia num motel, o pai escondia o facto de terem um cão para não pagar a taxa extra por causa do animal. Nessa altura, o jovem sonhava com o dia em que seria um "intocável elitista de Hollywood". "Parece que o sonho tornou-se realidade", acrescentou.

Assim, Kimmel fez um pedido de desculpas irónico a quem o criticou: "Gostaria de pedir desculpas por dizer que as crianças na América devem ter cuidados de saúde. Isso foi insensível, foi ofensivo, e espero que encontrem no vosso coração espaço para me perdoarem." O comediante confirma que qualquer criança, se for uma emergência, tem acesso a cuidados de saúde. Só que, acrescenta "os problemas de saúde de um bebé não são todos resolvidos numa única visita" e volta a pegar no exemplo do seu filho – as consultas, os tratamentos. Por vezes, continua, os pais até podem perder o seu trabalho por acompanhar os filhos doentes.

O comediante entrevista um senador republicano, Bill Cassidy, que explica como funcionam os seguros de saúde e quem tem acesso aos mesmos. E, por fim, Kimmel declara que a "nenhuma família norte-americana devem ser negados os serviços de saúde, seja uma urgência ou não".