Salvador Sobral cantou o tema
Salvador Sobral cantou o tema "Amar pelos Dois", escrito pela irmã Luísa Sobral RTP

Salvador Sobral

"El País" descreve sucesso de Salvador Sobral como "um milagre"

O jornal espanhol publicou uma entrevista em discurso directo ao concorrente português ao Festival da Canção.

A canção Amar pelos Dois é "uma beleza" e Salvador "um espírito original e livre que se ama da primeira vez que se ouve". O seu recente sucesso no "mundo estereotipado da música televisiva": "um milagre". Assim começa um artigo sobre Salvador Sobral, publicado no domingo pelo El País.

Salvador Sobral falou ao jornal espanhol sobre a experiência (negativa) de ter passado pelo programa de televisão Ídolos, sobre a breve carreira musical que teve a cantar em hotéis, retaurantes e bares em Maiorca e sobre aquilo que o motivou a participar nas meias-finais do Festival da Canção.

Em 2009, com 18 anos, Salvador entrou no concurso de televisão Ídolos. Chegou ao grupo de dez finalistas, mas quem ganhou essa edição foi Filipe Pinto. "[A participação] tornou-me super popular, sem saber quem era como ser humano ou musicalmente. É injusto que te exibam dessa maneira quando não és maduro", contou ao El País. "Não são realmente programas de música, são entretenimento e não recomendo a quem gosta de música participar num programa desses". No final, decidiu dedicar-se a uma área totalmente diferente e ingressou num curso de Psicologia, lembra ainda.

Foi a irmã de Salvador, Luísa Sobral – compositora do tema que o catapultou para fama pela segunda vez –, que o incentivou a participar na corrida à representação de Portugal no Festival da Canção. "Eu disse tudo bem, porque havia pessoas muito boas, mas quando me mostrou a música não havia maneira de dizer não. A música é tão bonita... E ela queria-me a mim. Eu nunca pensei que iria ganhar, porque nosso tema tem nada a ver com o mundo da Eurovisão", revela.

Salvador revela que na Eurovisão irá provavelmente cantar Amar pelos Dois de forma idêntica àquela que mostrou na meia-final. "Como sou artista de jazz, gosto de cantar músicas de forma diferente, mas minha irmã disse-me: "olha, no festival quero que cantes a melodia tal como é, deve ser respeitada."

A menos de um mês da Eurovisão, que acontece no início de Maio, em Kiev, Salvador diz que, aconteça o que acontecer, já ganhou: "O festival já me ajudou em tudo o que tinha de ajudar, já ganhei com tudo o que aconteceu, porque dão-me atenção como não davam antes e o meu álbum (Excuse Me) está entre os mais vendidos."

O jovem músico de 27 anos vive bem com a fama que tem hoje. Em vez de lhe pedirem para contar os mexericos dos bastidores dos Ídolos, hoje abordam-no "com respeito", para dizerem que gostam da canção ou para desejar-lhe boa sorte.