A piscina e o banho turco
A piscina e o banho turco PÚBLICO/Arquivo

Spa

Há pedras para experimentar no spa do Marmòris em Vila Viçosa

O spa do Hotel Marmòris nasceu no meio do mármore e tem ofertas para os clientes habituais.

O ambiente torna-se mais fresco quando se desce do rés-do-chão para a cave do Hotel Marmòris, em Vila Viçosa. Ouve-se o barulho da água, como se entrassemos numa gruta. Mas, ao fundo do corredor, há luz natural que entra por cima, directamente da rua, e incide no balcão do spa. Telma Santana dá as boas-vindas. 

A ficha onde se assegura que não se sofre de qualquer doença que impeça o tratamento é preenchida e a terapeuta, que é também a gerente do spa, sai detrás do balcão e, de mãos juntas, faz uma vénia.

Seguimos para uma das quatro salas de massagem. Pelo menos uma das salas permite que se façam massagens a dois. O que caracteriza este espaço é a pedra mármore que não decora as paredes, mas que é as próprias paredes. Recorde-se que Vila Viçosa é conhecida pelo paço ducal, mas a vila alentejana é também famosa pela extração da pedra. Portanto, quando os donos do hotel, que em tempos foi um lagar de azeite, começaram a escavar descobriram pedra, como era expectável, mas deixaram-na à vista no spa, no banho turco e na piscina.

Com a humidade da piscina – que está coberta no Inverno – e as águas fluviais, a pedra tem criado estalactites, o que ainda dá um ar mais característico ao espaço, todo ele bem decorado e com a música apropriada para quem vai receber uma massagem.

A proposta é a de uma massagem facial anti-idade com pedras frias – a pedra é o mote do hotel, todo ele um verdadeiro mostruário do que de melhor se pode fazer nesta indústria, afinal os proprietários são donos de pedreiras e os seus clientes, da Europa e do Médio Oriente, podem pernoitar no hotel e usufruir dos seus serviços, não só do spa mas também do restaurante, antes de concluirem um negócio de compra de pedra.

A marca de produtos de tratamento usada no spa é a suíça Karen Herzog porque também esta usa nos seus ingredientes a pedra.

Começamos com uma limpeza do rosto, de seguida uma esfoliação com sérum, hidratação com óleo nutritivo, massagem de rosto, massagem com as pedras frias, segue-se uma máscara de argila, depois esta é retirada com creme de óleos, de seguida é posto um creme de conforto e com vitamina H com betacaroteno.

Tudo isto leva uma hora a fazer porque há períodos de espera entre alguns dos passos. Por essa razão, Telma não fica parada e quando faz a massagem de rosto, aproveita e vai ao pescoço e aos ombros. E enquanto a argila faz o seu efeito, a massagem chega aos ombros, aos braços, às mãos e até mesmo aos pés. Ou seja, a anúncio é o de um tratamento facial, mas no fim, o tratamento chegou ao corpo todo.

E porquê a massagem com as pedras frias? Porque a temperatura das pedras ajudam à circulação do sangue e também ao relaxamento, responde Telma que fez recentemente uma formação de massagem de recuperação desportiva. É que por Vila Viçosa passam circuitos de ciclismo e há clientes ciclistas que precisam de massagens.

Telma decidiu alargar os serviços aos habitantes locais. Para isso foi criado um passe mensal que permite fazer o circuito termal – que inclui o banho turco, a piscina, os tanques de relaxamento e o ginásio. Se o fim-de-semana é uma altura forte onde, por vezes, precisa de reforçar a equipa, durante a semana o movimento é menor, logo, a terapeuta está já a pensar oferecer outros serviços como a manicure e a pedicure. 

O Life&Style fez o tratamento a convite do Hotel Marmòris