Polémica

As "leggings" são indecentes?

O uso de roupa de desporto no dia-a-dia tornou-se uma moda, mas nem todos se sentem confortáveis com isso.

As leggings foram desenhadas para serem usadas no ginásio. No pilates, no ioga ou na zumba, o uso destas calças confortáveis que se adaptam completamente ao corpo ajudam a que os movimentos feitos sejam livres. Mas essa liberdade e conforto devem sair do ginásio?

A United Airlines acha que não, pelo menos para os seus colaboradores e familiares, conforme se viu com a recente polémica deste domingo: duas raparigas foram impedidas de embarcar num avião no aeroporto de Denver, nos EUA, por estarem a usar leggings. O incidente foi denunciado nas redes sociais por uma testemunha que afirmou que o pai de uma das meninas, que vestia calções, foi autorizado a embarcar no voo que tinha como destino Minneapolis.

A companhia aérea veio explicar que aquele tipo de vestuário não está contemplado nas regras internas. Uma das denunciantes do caso foi Shannon Watts, uma activista que partilhou o caso na rede social Twitter e que foi ouvida por vários órgãos de comunicação social. Ao New York Daily News, Watts afirma: “Gostaria que percebessem que, nos dias que correm, as leggings já fazem parte do guarda-roupa na América. Não é inapropriado nem sexual.”

E não é peça única no roupeiro das norte-americanas, mas no da maioria das mulheres ocidentais. As leggings são uma peça confortável e é comum vê-las aos fins-de-semana nas grandes superfícies, assim como às sapatilhas, vestidas  por mulheres que não acabaram de correr 21 quilómetros nem de fazer uma hora de bicicleta, mas que simplesmente foram às compras. 

A tendência athleisure está aí, nas ruas da cidade. Sónia Fernandes, da Adidas, explica que na marca alemã existem dois segmentos: o do desporto e o da moda. Para o primeiro, as peças de roupa e de calçado são desenhadas com recurso à tecnologia, não só a pensar no bem-estar mas também na performance do atleta. Quanto ao segmento de moda, as leggings estão presentes — "se não fosse uma peça-tendência, não a teríamos na colecção de moda", justifica ao Life&Style, acrescentando que o seu público-alvo é dos 14 aos 25 anos, "mas não quer dizer que outras clientes não as usem". 

Num estudo publicado em Outubro de 2015, a Morgan Stanley registou um crescimento de 42% na venda de roupa e calçado atlético durante os sete anos anteriores, gerando 270 mil milhões de dólares a nível mundial. Estima ainda que as vendas alcancem os 83 mil milhões de euros até 2020. Segundo a NPD, citada pela Bloomberg, enquanto a indústria da roupa tem tido um aumento ano após ano de 2%, a venda de roupa desportiva nos Estados Unidos registou em 2015 um aumento de 16% em relação ao ano anterior.

O que acontece quando a maquilhagem vai ao ginásio?

Apesar de ser uma tendência de moda, para muitos continua a ser escandaloso e há mesmo quem defenda que seja proibido o uso deste tipo de roupa fora do ginásio. Por exemplo, em várias escolas norte-americanas as leggings e outras calças justas só são permitidas fora da hora de Educação Física se a camisola ou sweatshirt for comprida o suficiente para tapar o rabo. O argumento é que este tipo de calças, por serem muito justas e feitas em tecidos mais finos (e por vezes transparentes), permitem perceber melhor os contornos do corpo.

Outro argumento para a sua proibição é o facto de serem demasiado casual, ou seja, na escola ou no trabalho, as mulheres não devem estar vestidas de uma forma tão descontraída e confortável. 

Os patrões podem obrigar as mulheres a trabalhar de saltos ou a usar maquilhagem?

Nas redes sociais, muitas celebridades mostraram-se contra os argumentos da United Airlines. Patricia Arquette foi uma das primeiras figuras públicas a usar o Twitter para condenar a atitude da companhia aérea. "As leggings são traje profissional para pessoas de dez anos. O seu negócio é serem crianças", comentou a actriz num tom sarcástico, fazendo referência a uma das jovens que foram impedidas de entrar no avião e que tem dez anos.

As críticas e piadas não ficaram por aí. A modelo Chrissy Teigen lembrou o facto de já ter entrado num voo da United Airlines "sem calças" e só com uma T-shirt como vestido. A modelo partilhou ainda uma fotografia usada pelo Daily Mail para ilustrar a notícia, escrevendo "entretanto alguém no Daily Mail teve de procurar no Google fotografias de 'raparigas de dez anos em leggings', esse é provavelmente o verdadeiro crime".

"Nós aqui na @united estamos só a tentar policiar o vestuário das filhas dos nossos empregados! É tudo! Cool, certo?", escreve o actor Seth Rogan.

O actor William Shatner mostrou como já escolheu usar leggings para embarcar num avião, em resposta a um tweet de Patricia Arquette. A actriz respondeu com um elogio e Shatner questionou se os armazéns Neiman Marcus teriam leggings: "Estou a caminho de ir às compras e de marcar um voo da United."

"Compreensível. É so dizer que um pai em calções é mais apropriado do que uma rapariga de dez  anos em leggings é estranho, repensem talvez", comentou a humorista Sarah Silverman.