Tim Wimborne/Reuters

Proibição

Uso de burkini proibido nas praias de Cannes

Proibição foi decidida pelo presidente da câmara. Quem não cumprir, fica sujeito a multa de 38 euros.

O uso de burkinis – fatos de banho de corpo inteiro com cobertura para a cabeça, usados por mulheres muçulmanas – foi proibido nas praias da estância francesa de Cannes. A decisão, anunciada esta quinta-feira, foi tomada pelo presidente da câmara, David Lisnard, e prende-se com questões de segurança e “secularismo”, um dos princípios fundadores da República Francesa.

As medidas ditadas por Lisnard são impostas na época alta de férias na Riviera francesa e vêm no seguimento dos ataques reivindicados pelo Estado Islâmico, que aconteceram em Nice (14 de Julho) e numa igreja católica no Norte de França (26 de Julho).

“Roupa de banho que demonstre de forma ostensiva uma filiação religiosa, quando a França e locais de culto religioso são actualmente alvos de ataques terroristas, é susceptível de criar riscos perturbadores de ordem pública (aglomeração de pessoas, confrontos, etc), algo que é necessário prevenir”, afirmou o autarca de Cannes em comunicado citado pelo Le Monde.

“O acesso à praia será banido a todos que não tiverem roupa de banho adequada que respeite os bons costumes e o secularismo”, pode ler-se no mesmo comunicado.

A França proibiu, em 2010, o uso em locais públicos de burqa, túnica que cobre todo o corpo permitindo a visão apenas através de uma espécie de rede, bem como outras vestes que escondam o rosto das mulheres.

Quem violar a regra agora imposta em Cannes arrisca-se a pagar uma multa de 38 euros.