JUSTIN TALLIS/AFP

Discurso

Jennifer Aniston aconselha adolescentes a enfrentarem bullies e fazerem pausa nas redes sociais

A actriz discursou para um grupo de jovens no Giffoni Film Festival, onde foi homenageada com o prémio carreira.

Jennifer Aniston criticou recentemente o escrutínio e a pressão feita pelos tablóides às imagens das mulheres numa carta aberta, depois de uma revista especular que estaria grávida. Em Itália, no Giffoni Film Festival, a actriz encorajou as gerações mais novas a unirem-se contra o bullying, falou sobre o papel da mulher em Hollywood e as suas crises de identidade.

“Quando vês um bully tens de o deitar a baixo e não permitir”, disse a actriz a um grupo de crianças e adolescentes, reconhecendo que a Internet tornou a luta contra o bullying mais dificil, uma vez que permite o anonimato enquanto se deita a outra pessoa abaixo. “Eles escondem-se atrás de computadores, por isso isto é sobre não permitir que vos atinja. Guardem os computadores e tenham conversas”, aconselhou.

Um adolescente perguntou à actriz norte-americana se “alguma vez acordou de manhã sem saber quem era”, Aniston emocionou-se e respondeu que já se sentiu assim várias vezes ao longo da vida e que isso não é uma “sensação anormal”. “Saibam que os vossos actores favoritos, ídolos, ícones, o que quer que lhes chamem, já tiveram essa experiência na vida muitas vezes”, realçou, frisando à plateia que “não há nada que nos separe. Todos começamos no mesmo lugar. Todos viemos do nada”.

Tal como o princípe Harry, que realçou a importância de falar abertamente sobre o luto e sobre os sentimentos, num evento no Palácio de Kensignton, em Londres, Jennifer Aniston disse aos jovens para não se castigarem por se sentirem assim e para pedirem ajuda. “Falem com alguém e procurem ajuda ou algo que vos inspire.”

A actriz abordou ainda os tópicos das redes sociais, das selfies, do poder feminino e do papel da mulher em Hollywood. “Penso que precisamos de dar poder às mulheres para não ser só sobre vestidos e beleza e auto-retratos. Precisamos de começar a ter conversas, largar os nossos telemóveis, sair das redes sociais, fazer pausas das redes sociais. É por isso que não vemos as histórias certas a serem contadas. Todos estão presos aos telemóveis”, concluiu Aniston.