AFP PHOTO / LIONEL BONAVENTURE

Investigação

Empatia com os filhos pode ter efeitos na saúde dos pais

Empatia dos pais é benéfica para os filhos mas, a longo prazo, pode ter consequências na sua saúde.

Os pais compreensíveis e afectivos com os seus filhos têm maiores níveis de auto-estima e um sentido de vida, mas esta relação empática, associada a uma série de benefícios físicos e psicológicos nas crianças, pode ter consequências fisiológicas nos pais.

Um estudo da Universidade de Northwestern, publicado no fim de 2015 e que irá aparecer na edição de Março da revista científica Health Psychology, denuncia uma relação entre a empatia parental e inflamações celulares crónicas de baixo impacto, bem como uma produção elevada da hormona do stress.

A equipa de investigadores norte-americanos analisou amostras de sangue de 247 pares de pais e os seus filhos adolescentes e questionou-os sobre a frequência com que compreendem os sentimentos dos seus filhos e com que grau de preocupação respondem. Os adolescentes filhos de pais empáticos mostraram níveis baixos de marcadores inflamatórios, melhor saúde física e regulação de emoções, mas o contrário foi identificado nos pais – as análises detectaram inflamações sistémicas de baixo impacto.

A empatia determina que as necessidades pessoais são postas de lado em favor das necessidades dos outros, o que, no caso de adultos com filhos, se pode traduzir em estilos de vida mais agitados, mais stress e privação de sono – factores que podem criar inflamações.

Erika M. Manczak, investigadora responsável pelo estudo, licenciada em Psicologia na Universidade de Northwestern, atesta à Quartz que “não é egoísta da parte dos pais” tirarem tempo para dormirem, exercitarem-se ou fazer outras actividades que lhes dê prazer. “É realmente crítico para a sua própria saúde física e mental.”