Elton John e o marido David Furnish
Elton John e o marido David Furnish AFP PHOTO/Frederic J. Brown

Boicote

Elton John apela a boicote à marca Dolce&Gabbana

O cantor, de 67 anos, apelou a um boicote à marca Italiana depois dos designers se referirem a crianças nascidas por processos não naturais como “sintéticas”.

Em entrevista à revista italiana Panorama, Stefano Gabbana e Domenico Dolce fizeram declarações que se tornaram virais na Internet. A dupla de designers, que já foi um casal, criticou as famílias que recorrem a barrigas de aluguer e fertilização in vitro para ter filhos. Dolce chegou mesmo a afirmar que “a família deve ser tradicional” e que não concorda com “os filhos da química – os bebés sintéticos, de barriga de aluguer e de sémen escolhido de um catálogo”.

As declarações não agradaram ao cantor britânico Elton John, que tem dois filhos, Zachary e Elijah – resultado de barriga de aluguer – com o marido David Furnish. O cantor de 67 anos publicou no seu Instagram uma fotografia dos designers italianos, acompanhada do hashtag #BoycottDolceGabbana.

"Como se atrevem a referirem-se às minhas lindas crianças como “sintéticas”. Deviam ter vergonha por julgarem a fertilização in vitro, um milagre que permitiu legiões de pessoas – hetero ou homossexual – realizarem o seu sonho de terem uma criança. O vosso pensamento arcaico não se adequa a este tempo, tal como a vossa moda.”, escreveu John como legenda, prometendo ainda ”nunca mais usar roupas Dolce&Gabbana”.

O boicote à marca tornou-se viral nas redes sociais e foi apoiado por activistas gays e por várias celebridades.

Ryan Murphy, produtor de séries, escreveu que "as opiniões destes designers nunca estão na moda. As suas roupas são tão feias como o seu ódio. #BoycottDolceGabbana". O cantor Ricky Martin tweetou que "as vozes [da dupla italiana] são demasiado poderosas para espalharem tanto ódio" e a designer Victoria Beckham enviou uma mensagem de afecto a "Elton, David, Zachary, Elijah e a todos os lindos bebés por fertilização in vitro".

Segundo o jornal The Guardian, a Dolce&Gabbana já emitiu um comunicado explicando que a dupla não pretendia julgar as famílias diferentes. Domenico Dolce afirmou que “estava a falar da [sua] opinião pessoal, sem julgar as escolhas e opiniões das pessoas”; enquanto que Stefano Gabbana disse: “Acreditamos firmemente na democracia, na liberdade de expressão e no amor”.

No Instagram, Gabbana publicou uma montagem de várias fotografias com a legenda “#BoycottDolceGabbana porque é diferente. E vocês odeiam as opiniões diferentes! Ditadores racistas! Liberdade de expressão ”.