Jorge Silva/REUTERS

Natação

Detido por conduzir sob o efeito de álcool, Michael Phelps vai procurar tratamento

O nadador norte-americano, com 22 medalhas olímpicas, pode por em risco a sua participação nos jogos do Rio em 2016.

O campeão olímpico de 29 anos foi preso na madrugada de terça-feira passada por excesso de velocidade e por condução sob o efeito de álcool – segundo o Washington Post, Phelps tinha um nível de álcool no sangue duas vezes superior ao limite legal. A 1 de Novembro vai a tribunal, pode ficar preso durante um ano e sem a carta de condução durante seis meses.

Este domingo, o nadador escolheu a rede social Twitter para anunciar que precisa de “ajuda” para se perceber melhor. “Reconheço que este não é o meu primeiro lapso de julgamento e estou extremamente desapontado comigo mesmo”, escreveu, anunciando que vai procurar tratamento. "A natação é uma parte muito grande da minha vida mas agora preciso de me focar em mim", acrescentou.

Em 2004, Michael Phelps já tinha sido acusado por conduzir sob o efeito de álcool e ficou 18 meses em liberdade condicional, depois de se ter dado como culpado. “Entrar num carro com alguma coisa para beber é errado, perigoso e inaceitável”, disse então. Cinco anos depois, em 2009, voltou a ser motivo de notícia pelas piores razões: várias fotografias a fumar marijuana foram divulgadas por um tablóide britânico que apelidou o momento como uma “indiscrição juvenil”.

Depois de dois anos de pausa, Phelps preparava-se para voltar ao activo e estava a lutar por um lugar na equipa norte-americana para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Com o anúncio do tratamento – que não especificou quando vai começar nem onde vai realizar – o regresso à competição volta a ficar em suspenso.