A actriz Emma Watson com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon
A actriz Emma Watson com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon Timothy A. Clary/AFP

ONU

Emma Watson quer que os homens defendam os direitos das mulheres

Emma Watson deixou para trás a imagem de Hermione Granger, da saga Harry Potter, e lançou uma campanha mundial pela igualdade de género.

He for She pretende chamar os homens a defender os direitos das mulheres a nível global.

“Vocês podem pensar ‘quem é esta rapariga do Harry Potter? O que é que ela está a fazer nas Nações Unidas?’ Eu tenho feito a mesma pergunta a mim própria. Tudo o que eu sei é que me preocupo com este problema e quero fazer alguma coisa”, começou Emma Watson, pondo fim às dúvidas que algum dos presentes na sala poderia ter.

No discurso de lançamento da campanha, nas Nações Unidas, em Nova Iorque, EUA, a actriz britânica de 24 anos revelou que durante vários anos viveu o que considera "actos de sexismo". Tudo começou, segundo Watson, quando tinha oito anos e quis ser ela a comandar as peças de teatro da escola.

“Depois, aos 15 anos, as minhas amigas começaram a sair das equipas desportivas porque não queriam parecer musculadas”, revelou à audiência. Emma Watson falou ainda da impopularidade da palavra “feminismo”, explicando que “feminismo não é ódio aos homens” e que a concepção “nós contra eles” tem de ser eliminada para ser possível atingir a desejada igualdade de género.

“Já me apercebi que lutar pelos direitos das mulheres tem-se tornado sinónimo de ódio aos homens. Isso tem de parar. A definição de feminismo é ‘crença que homens e mulheres devem ter direitos e oportunidades iguais'. É a teoria da política, economia e igualdade social entre os sexos’”, disse.

Um problema dos homens
A embaixadora da ONU fez ainda referência ao discurso que a ex-primeira dama Hillary Clinton deu em 1995, sobre os direitos das mulheres, notando que na altura, só 30% do público a ouvi-la era do sexo masculino. “Gostava de aproveitar esta oportunidade para vos convidar formalmente para a discussão. A igualdade de género é um problema vosso também”, declarou, dirigindo-se aos homens presentes na sala. No fim, recebeu uma ovação.

A primeira missão de Emma Watson enquanto embaixadora da ONU Mulheres foi no Uruguai e juntou adolescentes, políticos e militantes pela causa feminista. A actriz foi nomeada embaixadora da Boa Vontade em Julho, por Phumzile Mlambo-Ngcuka, secretária-geral e directora-executiva da ONU Mulheres.