Daniel Rocha

Para a CNN, São Tomé e Príncipe é um dos dez «destinos de sonho» para 2014

“O local ideal para aperfeiçoar a arte da calma”, sugere o canal de viagens da CNN.

“Quando grande parte do nosso trabalho é editar histórias sobre as incríveis viagens de outras pessoas, não demora muito até que o desejo de viajar comece a fervilhar”. É assim que arranca o artigo em que a equipa da CNN Travel expõe os seus muito pessoais dez “destinos de sonho” para 2014. Entre Japão e Itália, o Quénia ou o Alasca, há espaço para destacar São Tomé e Príncipe, um país lusófono que é descrito como praticamente desconhecido dos turistas.

Referindo que é um destino com “apenas 20 turistas por semana” (um dado que, na verdade, não bate certo com os números oficiais, já que, segundo o Governo são-tomense, o país recebeu 12.743 turistas em 2012, o que dá uma média de 245 visitantes semanais), São Tomé “não recebe pouca gente por ser perigoso ou por não valer a pena” mas porque “as pessoas não sabem onde fica. A não ser que sejam de lá”.

As ilhas que compõem este país da costa africana são, como refere o artigo, “um bom candidato para o cliché de ilha exótico-paradisíaca”, salientando ainda que esta categoria se deve também aos “poucos turistas”.  Como atracções salientam a possibilidade de se “pernoitar em casas coloniais”, “observar os pássaros na densa floresta” ou beber um “óptimo café”.

Recordando que o mote nacional é o “leve-leve”, contrastam a calma deste estado de espírito nacional com a animação da dança nos espaços nocturnos da capital.

Aos viajantes, deixam o aviso: foi “descoberto petróleo ao largo de São Tomé, por isso o melhor é ir lá o mais cedo possível”.

Da lista de “destinos de sonho” da equipa da CNN Travel faz também parte um singular hotel do Quénia, nas imediações de Nairobi, onde as girafas são anfitriãs, o Giraffe Manor; a “mais grandiosa reserva de água de que provavelmente nunca ouviu falar”, como define o portal, o Lago Clark, Parque Nacional e Reserva, no Alasca; ou o recentemente inaugurado Monastero Santa Rosa, hotel italiano com uma localização vertiginosa: fica no topo de um penhasco em Conca del Marini, com uma vista ímpar sobre a costa de Amalfi.

Numa lógica mais arrojada, a equipa da CNN Travel confessa que gostaria de fazer “uma viagem pelo Espaço até à Pandora” do Avatar de James Cameron. Não sendo tal possível, optam, como substituição, pelo Parque das Flores de Ashikaga, no Japão, que referem ter a ‘Árvore das Almas’ do filme. Ainda no esplendor natural, elegem também a Avenida dos Baobás em Madagáscar, onde as árvores são “grandes, ramificadas e ligeiramente bulbosas”. “Árvores que podem chegar aos 20 metros de altura e aos 10 de largura”.

Para os amantes do snowboard (e de adrenalina), propõe-se heli-boarding na Suíça. “Sem perder tempo em teleféricos”, basta “saltar para um helicóptero, sentar-se e apreciar a paisagem antes de o piloto o largar no topo de uma montanha coberta de neve”.

Ainda na área do desporto mas para os não profissionais, como descrevem, eis a Luxuosa Expedição de Tropicsurf, na Papua Ocidental (Indonésia) que a equipa diz “prometer ondas para todos os níveis”, além da possibilidade de poder “atravessar as águas de uma das áreas menos exploradas do Sudoeste Asiático”, como descrevem.