Polémica

Nivea não quer a Rihanna sexy

Rihanna foi considerada demasiado atrevida para continuar a ser a imagem da Nivea. Em causa parecem estar os comportamentos “impróprios” da cantora caribenha que, segundo o presidente do grupo que detém a marca, não combinam com os valores de confiança e família.

Depois de ter emprestado a imagem às campanhas publicitárias da Nivea durante o último ano, Rihanna foi dispensada. Assim o decidiu Stefan Heidenreich, o novo CEO do grupo Beiersdorf que detém a marca. “ [É] Demasiado sexy. Não entendo como é que a Nivea se associou a Rihanna”, disse o CEO ao jornal alemão Die Welt. A resposta da cantora chegou através da rede social Twitter onde Rihanna colocou uma foto de Stefan Heidenreich acompanhada apenas da frase seca: “Sem comentários”.

A cantora foi contratada em 2011 pela Nivea. Desde então, o seu rosto correu mundo estampado na lata de creme branco de tampa azul e a música Califórnia King Bed também surgiu em alguns dos anúncios da marca. A Nivea foi ainda a patrocinadora da sua mais recente digressão, Loud, facto que ajudou Rihanna a ocupar o terceiro lugar no top das celebridades mais bem pagas do mundo com menos de 30 anos referente a 2011, onde figura com um total de 53 milhões de dólares.

A decisão do novo CEO contrasta com as do seu antecessor quando anunciou a contratação da cantora de Barbados. “Estamos entusiasmados por ter Rihanna na celebração do nosso centenário para nos ajudar a conseguir uma nova geração de fãs”, disse o então presidente da Beiersdorf, Thomas Quaas.