REUTERS/Paul Vicente

O filme de Diana que não deverá ser exibido

A morte de Diana continua a gerar controvérsia, agora no cinema. Há um filme, que defende que a morte da princesa de Gales não foi acidental, que muito provavelmente não vai chegar a ser exibido.

Isso porque o realizador do filme, o actor britânico Keith Allen, se recusa a cortar as partes mais conflituosas, num total de 87. Segundo o El País, a versão que aposta na tese de assassinato da ex-mulher do príncipe Carlos foi revelada em 2011 e os direitos foram vendidos para praticamente todo o mundo, à excepção do Reino Unido, onde as seguradoras, temendo a apresentação de acções judiciais, se recusaram a fazer contratos de seguro. Esperava-se que o filme fosse divulgado nos Estados Unidos, mas o medo de acções judiciais contra as filiais no Reino Unido travou os contratos das seguradoras americanas. O filme corre sérios riscos de não ver a luz do dia. Mais consensual é o filme sobre a vida de Diana, que chegará no próximo ano e onde a actriz Naomi Watts interpretará Diana.