Adriano Miranda

Porto Gelataria

Santini Porto

A Santini chegou ao Porto. Fomos conhecer a nova casa, que é a maior loja da marca no país. E, claro, provar os gelados, incluindo um com sabor Porto.

Quem já conhece as outras lojas da Santini vai sentir-se em casa ao entrar na nova gelataria da Baixa do Porto. A decoração, das riscas largas vermelhas e brancas, passando pelas fotografias a preto e branco, é igual à que encontrará em São João de Estoril, Cascais, no Chiado (Lisboa) ou em Carcavelos. E os sabores, os sabores que cativaram uma legião de fãs, de tal modo militante que não se importa de esperar em longas filas pelo momento de poder saborear um gelado Santini, também continuam os mesmos. Não seria um Santini se assim não fosse. Para o Porto foi criado o Invicto, mas se não é do Norte, não se preocupe, ele estará disponível também nas outras lojas da marca.

Quando, em 2010, abriu a loja do Chiado, parecia que as coisas iriam ficar por ali. Por mais que os amantes da Santini a Norte reclamassem por uma loja só para eles, parecia que não iriam ter sorte. Nessa altura, Eduardo Santini Furtes, neto de Attilio Santini, o fundador da gelataria em Portugal, garantia à Fugas que não havia “ideias de expandir mais”. Mas não era bem assim. “Abrir uma loja no Porto era uma ambição que tínhamos, mas quisemos fazê-lo com condições, por causa da qualidade do produto”, explicou à Fugas no dia da inauguração da gelataria do Porto, no Largo dos Lóios.

Porque se há coisa que os responsáveis da Santini têm repetido até à exaustão é que não há segredos para a qualidade dos seus gelados, senão o da qualidade dos produtos utilizados – todos naturais. Quem come um Santini tem a garantia dos donos de que está a saborear apenas ingredientes naturais – leite, fruta e açúcar, na maior parte das variedades. Vá, leite, fruta, açúcar e vinho do Porto, se decidir experimentar um Invicto. 

A marca quis criar um gelado com sabor a Porto e, ainda que o vinho com o nome da cidade não pudesse faltar, não se quis parar por aí. O resultado foi um gelado com base de nata, enriquecido com vinho do Porto, figos secos e nozes. E os sabores, garantimos nós, estão lá todos. Em cone ou em copo. É como preferir.

No dia da abertura ao público, na terça-feira, já havia filas na Santini do Porto. Isabel, que aproveitou a hora do almoço para ir experimentar a nova gelataria da cidade, diz que esteve “quase a desistir”, pela quantidade de pessoas que encontrou à sua frente. Mas, esperou, e não se arrependeu. O gelado de uma bola com sabor de limão e framboesa e limão e chocolate encheu-lhe as medidas.

As duas combinações já fazem parte da história da Santini, como o sempre favorito morango, a marabunta ou o gelado de baunilha. Mas, além dos sabores que se mantêm o ano todo, a casa oferece também produtos sazonais, para aproveitar o que vai crescendo em Portugal, nas diferentes estações do ano. É por isso que, até ao fim do mês, ainda poderá encontrar gelado de cereja. E é também por causa de Junho e dos santos populares que a casa criou uma nova combinação, a de morango com manjericão. Todas elas, a par com o novíssimo Invicto, estão disponíveis na loja do Porto. 

Para abrir a Norte, a Santini não foi procurar novos fornecedores nem abriu uma nova unidade de produção. Os gelados continuam a ser fabricados no sítio do costume e os produtos vêm dos mesmos fornecedores de sempre. “Trazemos o gelado de Lisboa, quase todos os dias”, dizia Eduardo Santini Furtes na inauguração. 

A loja do Largo dos Lóios é a maior de todas as Santini, com os seus 40 lugares sentados. Lá dentro além dos gelados tradicionais, há outras delícias à espera de quem quiser entrar (e não se importar de esperar 30 minutos pela vez de ser atendida, como aconteceu na terça-feira, dia da abertura ao público). Os bombons de chocolate com recheio de gelado são uma das ofertas da casa. O melhor bolo de chocolate do mundo, outra. Ofertas e criações que a casa inclui no menu para que a Santini deixasse de ser a gelataria que apenas abria no Verão. Ainda que, como defende Eduardo Santini Furtes, o gelado seja cada vez mais um produto que se consome “todo o ano”. 

O que não estará disponível todo o ano – pelo menos para já – é o gelado de gin, outra novidade da casa que, por enquanto, só está garantida até Outubro, e que nasceu de uma colaboração da Santini com a Gin Lovers. Há pelo menos 16 variedades de gin disponíveis para os clientes da loja, mas não todas de uma vez, nem em embalagens individuais. Pensado para ser um produto para consumir “em partilha” com os amigos, o gelado de gin está apenas disponível em embalagens de meio litro e custa 16,5 euros. Às terças-feiras, a casa anuncia na página de Facebook qual a marca de gin a ser disponibilizada em forma de gelado na sexta-feira seguinte e, depois, é correr, para comprar antes que esgote.

E agora, se chegou ao fim do texto e vive no Porto ou arredores, pode sentir-se satisfeito por já não ficar com o ar desconsolado de quem estava a ler um texto sobre delícias que só estavam acessíveis a quem morava lá para os lados da capital. Já nenhum amigo lisboeta ou nortenho com visitas frequentes a Lisboa vai poder atazaná-lo repetindo, até à exaustão, a lengalenga do não-fazes-ideia-do-que-estás-a-perder-não-dá-para-descrever-como-estes-gelados-são-bons. Passe pelos Lóios e prove. Decida por si. Há manga, meloa, ananás da ilha de S. Miguel, chocolate, avelã… E o Invicto. Não se esqueça de provar o Invicto.

Santini Porto
A Santini fica no número 17 do Largo dos Lóios, mesmo junto à Avenida dos Aliados, em plena Baixa do Porto. A loja abre todos os dias, entre as 11h e a meia-noite e os preços dos gelados começam em 1,60, para um mini-cone. Muitos dos que entram não se satisfazem, contudo, com menos do que uma bola com dois sabores (2,90 euros) e há mais variedades e preços mais caros para os verdadeiramente gulosos. Um gelado com quatro sabores vai ficar-lhe por 5,50 euros, mas se estiver disponível para partilhar (estará?) pode valer a pena arriscar.