Enric Vives-Rubio

P de Perceve

Terminamos o mês de Agosto com mais um petisco de esplanada, talvez o mais desconhecido de todos, o perceve.

De facto, o perceve é um alimento com uma forte carga enigmática relativamente ao seu valor nutricional. Quer pela sua relativa precocidade nas nossas mesas (apenas a partir dos anos 1960 começou a ter valor comercial), quer pela sua fraca expansão gastronómica (quase só em Portugal e Espanha tem apreciadores), existem muitos poucos estudos realizados sobre a composição nutricional do perceve e sobre os seus efeitos na saúde.

No entanto, este virar de costas da ciência não é acompanhado pelos consumidores. Há cada vez mais apreciadores deste crustáceo de tal modo que se foi verificando a sua sobrexploração o que, em 2006, levou à criação de legislação bastante restritiva à apanha do perceve.

É interessante constatar que os poucos dados disponíveis sobre a composição nutricional do perceve oferecem excelentes notícias. O perceve é um alimento muito pouco calórico (menos de 100kcal/100g), sendo essencialmente composto por proteínas (cerca de 20 por cento) e água. A pouca quantidade de gordura que possui é maioritariamente polinsaturada com uma grande proporção de EPA e DHA, dois ácidos gordos muito conhecidos pelo seu papel benéfico na saúde cardiovascular, se bem que com ingestões superiores às existentes no perceve.

Tal como a maioria dos crustáceos, o perceve possui um teor razoável de colesterol. No entanto, não se pode estabelecer uma relação directa entre o colesterol dos alimentos e o colesterol sanguíneo, pois muitos outros factores, como a ingestão de gordura total (particularmente a saturada) e de ácidos gordos trans, entram nesta equação.

É no entanto na sua riqueza em vitaminas e minerais que o perceve encerra os seus maiores benefícios. Riquíssimo em todas as vitaminas do complexo B, possui igualmente elevados teores de magnésio, ferro, zinco e selénio, um potente antioxidante que não é muito fácil de encontrar nos alimentos.

Fica assim desvendado o mistério nutricional do perceve. Mais saudável do que agradável à vista, é sem dúvida uma das melhores opções a ter em conta no roteiro gastronómico deste Verão!

 

*Professor Assistente Convidado da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto
pedrocarvalho@fcna.up.pt