Joe Raedle/AFP

Exercício

Prometo que este ano vou sempre ao ginásio...

Nos derradeiros segundos antes de entrar no ano novo, decidiu-se que é agora que as idas ao ginásio vão ser diárias. Serão mesmo?

Os ginásios voltam a abrir as portas em Janeiro, prontos a receber homens e mulheres que se comprometeram nas 12 badaladas, com promoções e novas modalidades. Quem se inscreve quer perder os quilos ganhos durante o período festivo, tornar-se mais saudável e chegar ao corpo ideal para o Verão. Mas conseguem cumprir a promessa ou decidem inscrever-se só pelas promoções?

A revista online Quartz avança que é em Janeiro que os ginásios aproveitam para explorar duas das maiores fraquezas da humanidade: a culpa e a preguiça. Júlio Pedro Carvalho, administrador do ginásio premium low cost Fitness Hut, diz ao Life&Style que, de facto, ano após ano “verifica-se uma subida de sócios no início do ano”, apesar de este ano ainda não ter dados para avançar.

Annabel Teixeira, club manager do ginásio Virgin Active também confirma a tendência e avança que este ano, comparativamente à mesma data do ano passado, já tem mais 10% de inscrições, até agora mais homens (60%) do que mulheres (40%). “Temos muita procura de pessoas que querem iniciar o ano com um estilo de vida diferente. Mesmo a afluência no clube é mais elevada. Sócios que já não vinham treinar durante alguns meses voltam em Janeiro”, realça.  

No Fitness Hut há pacotes especiais de adesão, com contrato de permanência durante um ano. No Virgin Active também. “Uma mensalidade de longa duração tem sempre vantagens de preço comparativamente a uma de curta duração”, explica Annabel Teixeira, que considera que as promoções especiais são um “passo para a pessoa iniciar esta mudança que tanto quer”.

É devido à fidelização que muitos ganham coragem e fazem um esforço extra para continuar a ir ao ginásio e cumprir a tal resolução. A Quartz não acredita nisso, falando destes descontos especiais como uma “falsa promoção ou incentivo”. “Eles querem-te mesmo que tu saibas que não vais lá voltar. Aliás, eles querem-te precisamente porque sabem que não vais lá voltar”, escrevem. Mas Júlio Carvalho afirma que é possível cancelar a inscrição no Fitness Hut a qualquer momento. “Basta reconstituir o desconto que recebeu quando utilizou os clubes”, esclarece o administrador.

Embora a ideia inicial de muitos seja ir “todos os dias”, isso não acontece. ”Em média vêm duas ou três vezes por semana”, revela Júlio Pedro Carvalho. O personal trainer Amâncio Santos confirma: “Planos e resoluções de ano novo há muitos. O desafio é cumpri-los ao longo do ano”. Mas, diz, durante as primeiras semanas de Janeiro é “fácil” cumprir os programas de treino. Para os restantes meses, é preciso conseguir “manter a motivação” e “criar o hábito de treino”.

Em 2011, lembra a Quartz, dois diplomados da Universidade de Harvard, EUA, criaram um modelo de negócio chamado Gym Pact (“pacto do ginásio”, em tradução livre) em que o cliente pagaria uma multa se não aparecesse no ginásio determinado número de vezes. O objectivo era reduzir a probabilidade de cancelamentos e criar uma maior probabilidade de compra mais personalizada. Não resultou.

Nuno Pinho, personal trainer do Virgin Active, explica que “um dos problemas na adesão a uma mudança no estilo de vida é torná-la um hábito”. Mas não é impossível. “Tão importante como construir uma resolução de ano novo, é vivê-la e senti-la. É fundamental que o treinador consiga despertar no aluno a sua verdadeira necessidade e não aquela que é construída pelo marketing”, frisa.

“No pain, no gain”
Quem se inscreveu há um ano, começa a ver melhorias agora. Pedro Coelho, 23 anos, é um desses casos. Já tinha estado inscrito outras vezes mas vários motivos fizeram com que tivesse interrompido. “Decidi que em 2014 ia ser mais saudável”, conta. Um mês depois do início do ano, em Fevereiro de 2014, inscreveu-se.

“Além de uma vida mais saudável, queria perder algumas gorduras a mais”, revela. Quase um ano depois, Pedro Coelho diz que tem uma “vida mais activa” e perdeu “o excesso de massa gorda que tinha”.

Para 2015, o plano é o mesmo. Se quando se inscreveu o objectivo era ir três vezes por semana – algo que não conseguiu seguir à risca – para o novo ano quer “aumentar o rendimento desportivo” e conseguir ir as tais três vezes. “No pain, no gain”, remata.

Catarina Leal de Faria, uma especialista em marketing digital, não se inscreveu em Janeiro, inscreveu-se em Outubro de 2014 mas já com os olhos postos no Verão de 2015. “Já estava focada no famoso projecto Verão”, diz-nos. Quer um “corpo seco e definido” e para isso comprometeu-se consigo própria, na altura da inscrição, a ir ao ginásio todos os dias.

E apesar de sonhar “poder comer e não engordar”, sabe que sem trabalho não consegue alcançar o pretendido. “Algumas semanas pode ficar complicado, mas tento assegurar pelo menos cinco treinos por semana”, diz, sublinhando que “sábado e domingo também são dias”.

Novas modalidades
Lá fora, há numa nova modalidade a invadir Hollywood. Chama-se Trap Fit e, diz o Telegraph, é “a nova mania do fitness”, um exercício criativo que combina habilidades circenses em trapézios com força. Amâncio Santos desconhecia a modalidade mas diz que “é necessário um pé direito muito alto do estúdio para permitir flutuar no ar”.

Enquanto o Trap Fit não chega a solo nacional, os ginásios também renovam as opções. No Fitness Hut, além das modalidades já existentes (entre elas o body pump, RPM, spinning, fitness move ou body attack), 2015 começou com uma modalidade já conhecida por muitos mas nova no ginásio: a zumba (um misto de festa, aula de dança e exercício). No Virgin Active, a grande novidade é a modalidade Fitness 5. "É uma aula de 20 minutos de elevada intensidade que proporciona um treino diferente e intervalado com cinco instrumentos, simples e inovadores: pneu, saco búlgaro, caixa, rip TRX e corda", revela Nuno Pinho.