A capa do livro que chegou às livrarias no final da semana passada
A capa do livro que chegou às livrarias no final da semana passada

Livro infantil

“O meu pai está desempregado e eu adoro-o!”

No livro O meu pai está desempregado, as autoras Carla Jorge e Irina Melo procuram “contar uma história para crianças, com uma vertente social muito ligada à realidade”. Com ilustrações de Catarina Correia Marques, explica-se aos miúdos o desemprego, as manifestações e outras complicações.

Depois de um pai polícia e uma mãe professora, junta-se à colecção de livros infantis “O que fazem os pais” o título O meu pai está desempregado, editado pela Máquina de Voar. Para as autoras Carla Jorge e Irina Melo “é um livro que faz muito sentido no contexto actual, pois, apesar de ‘desempregado’ não ser uma profissão, é uma realidade para muitas famílias e é importante falar sobre isso às crianças”. 

Aos 29 anos, as autoras, ambas jornalistas na área da economia, assumem a voz de uma criança para descrever, em pequenos episódios, o dia-a-dia de uma miúda e do pai, que ficou sem trabalho e agora passa a maior parte do dia em casa. “Há quem ache que é um ângulo negativo para apresentar às crianças, mas é uma forma simples de lhes mostrar a crise e a realidade”, afirma Irina Melo. 

“O livro começou por ser uma história mais negra, até percebermos que não queríamos que fossem só coisas negativas”, explica Carla Jorge. Assim, o desemprego do pai acaba por ter alguns aspectos que agradam à filha: “Ter o pai em casa é muito divertido. Tem mais tempo para mim e fazemos muitas coisas juntos”. Fazer os trabalhos de casa, jogar à bola ou andar de bicicleta com o pai, nunca aconteceu tantas vezes. 

Depois há o outro lado do desemprego que o livro explora apoiando-se nos pequenos detalhes. Se de manhã o pai está animado no caminho até à escola, ao final do dia, quando vai buscar a filha, o cenário é mais cinzento. “Vai calado e de olhos no chão”, abatido por mais um dia à procura de trabalho. As ilustrações de Catarina Correia Marques ajudam a pintar o cenário do fim de tarde chuvoso em que o pai está demasiado exausto para apreciar o desenho que a filha fez na escola. 

Uma festa de pessoas zangadas

As autoras escolheram adoptar a realidade como matéria-prima para escrever O meu pai está desempregado. Fala-se em emigração, dificuldade em pagar as contas e nas mudanças no estilo de vida da família que deixou de incluir idas ao restaurante do senhor Jaime e cujas férias são agora em casa dos avós. “Apesar de o texto ser muito simples, tivemos o cuidado de criar histórias dentro da história, com pequenos episódios como a ida aos avós ou o dia da manifestação”, explica Irina Melo. 

“Um dia fui com o meu pai a uma festa no meio da rua, com música e bandeiras.” À festa, o pai deu um nome que a menina não conhecia. Era uma manifestação, com a particularidade de, aos olhos da criança, todas as pessoas na festa parecerem zangadas, como o pai ao final de mais um dia à procura de emprego. “Achamos que pôr uma criança numa manifestação traduzia aquilo que se passava no país” afirma Carla Jorge que acredita que, “são essas coisas que fazem com que o livro seja muito próximo à realidade.”

Explicar a crise e o desemprego às crianças é um processo de simplificação, afinal “elas apercebem-se das consequências porque dão conta das mudanças". Ainda assim, "podem ter dificuldade em compreender o que realmente se passa”, explicam as autoras, que começaram a escrever para crianças depois de uma brincadeira na redacção da agência de notícias Lusa, onde são jornalistas. 

Os livros anteriores desta colecção terminam com as exclamações “o meu pai é polícia e eu adoro!” e “a minha mãe é professora e eu adoro!”. Por sua vez, a obra lançada no dia 8 de Setembro, na Livraria Ler Devagar, encerra com frase “o meu pai está desempregado e eu adoro-o”, isto porque “perante uma situação do pai que não é a ideal, a filha continua a vê-lo como um herói”, explica Irina Melo. 

Menos heróicos aos olhos da filha - e dos leitores atentos - serão os actos do gato Gaspar, que, durante a visita a casa dos avós, arranha e faz a vida negra ao pai. Mesmo que o nome já não se enquadre no panorama político do país, o “muito malandro” gato Gaspar continua a dar problemas ao pai desempregado.  

 

"O meu pai está desempregado”
Setembro 2013
Ed. Máquina de Voar
PVP: €7,95