Cada cake pop custa €1,5 sendo que são vendidos em quantidade mínima de 10 unidades 

Cada cake pop custa €1,5 sendo que são vendidos em quantidade mínima de 10 unidades 

Miguel Manso

Cake pops

Os bolos da Mafalda fazem pop

Depois dos cupcakes e dos macarons, há um novo doce na cidade. Não são chupa-chupas (lollipops) nem bolos (cakes), mas a combinação do melhor destes dois mundos. Os cake pops são um mimo para olhos e boca e a Mafalda fá-los como ninguém.

O cake design tem cada vez mais adeptos, isso não é novidade. Pela televisão, programas como o Cake Boss ou o Ultimate Cake Off mostram a arte por trás de pequenos e grandes pecados da gula reclamando para o pasteleiro um estatuto de artista. Se juntarmos a este hype o facto de os norte-americanos adorarem juntar um pauzinho a diversas especialidades (veja-se os exemplos do milho, das salsichas, dos marshmallows assados…) teremos percebido a origem dos cake pops. Tal como o nome sugere, trata-se de uma espécie de bolinho em formato chupa-chupa, cuja decoração divertida faz também lembrar os cupcakes.

Em Portugal, o design de pastelaria também está a ganhar adeptos, seja pela necessidade de ter um rendimento extra, seja pelo gosto de surpreender alguém com um bolo inesquecível. No caso de Mafalda Matias, foi mesmo a vontade de deixar um sorriso na cara de famílias e amigos que a levou a meter-se no meio dos corantes e moldes.

O cake design não era um projecto de vida, mas começou a ser levado a sério à medida que o volume de encomendas foi aumentando. Com apenas 24 anos, já fez bolos que mereceram destaque em vários meios e revistas da especialidade: ”Cheguei a um ponto em que tenho de recusar encomendas. Por cada bolo que faço, chega uma nova encomenda”, conta. Daí que, para já, esteja ocupada com os preparativos para a mudança da cozinha da mãe para o seu próprio atelier de cake design.

A sua marca, Bolos da Mafalda, tem na Internet a melhor das montras. “No princípio, as pessoas não sabiam muito bem o que queriam, mas, cada vez mais, chegam com uma ideia muito definida”, explica Mafalda Matias. Ainda assim, no caso dos cake pops, “Foi preciso fazer e pôr fotos no Facebook para as pessoas começarem a pedi-los”. Decora-os com margaridas, purpurinas, cegonhas, o que a ocasião pedir. ”Noto que as pessoas associam o meu trabalho a um género mais romântico e cor-de-rosa, mas faço um pouco de tudo”. Mafalda Matias considera que, por agora, talvez ainda não tenha “um estilo próprio”, mas, confessa que gostaria de ver a sua “marca” reconhecida, que “pessoas olhassem para um bolo e conseguissem perceber que tinha sido feito por mim”.

A maior fatia de encomendas vai para bolos personalizados, mas as festas temáticas também têm muita saída. Neste caso, a decoração, tanto do espaço como dos bolos, ganha coerência pelas suas mãos. Seja a “Black and Pink Party” ou algo pedido especificamente para uma festa de solteiro ou de divórcio, depende tudo da criatividade de Mafalda Matias. É por isso que está sempre à procura de novas coisas com que possa brincar, transformar e oferecer aos seus clientes. Tal como os cake pops.